quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

SEM RUMO, NEM DIREÇÃO.

Me invadistes loucamente
Sem nem pedir permissão
E deixastes todo meu ser
Sem rumo, nem direção.

Me dissestes: agora és meu !
Vou levar-te para o infinito
Enlouquecer-te com minhas caricias
Até ouvir o teu grito.

Então a lua me sorriu
Uma estrela me piscou
E tudo ficou colorido
Enquanto a gente se amou.

5 comentários:

  1. Teresa Cristina de Barros27 de novembro de 2011 04:49

    UHMMMMM....QUE AMOR LOUCO ....
    BELO DE MAIS !

    ResponderExcluir
  2. ANÔNIMA DA SILVA DAMASIO27 de novembro de 2011 05:38

    vc é o ministro estelar...fala com a lua, com as estrelas...nunca vai cair...pq governa com o coração...

    beijos poeta da astronomia♥

    ResponderExcluir
  3. *** GOSTOSA PERDIÇÃO SEM RUMO E NEM DIREÇÃO ACHANDO-SE PERDIDO(a) ABRAÇADO(a) PELA PAIXÃO! LINDO AMIGO POETA CARLINHOS! BJOS NO TEU CORAÇÃO. ***

    ResponderExcluir
  4. MARCA NO ESPELHO

    Espelho
    Mostra nosso enleio
    Em corpos desnudados
    Tão grande essa paixão

    Sinto calor em mim
    Por tuas mãos
    A chama arder
    E tua boca
    Me querer

    Fecho os olhos
    Viajo
    Nesta doce sensação
    Flamejante, mas suave
    Pois estremeço
    Com teu beijo

    Abraça-me forte
    Com brandura
    Cola teus lábios aos meus
    E deixa o bater
    Descompassado
    Acerte em nós
    Todo desejo ansiado

    ResponderExcluir